Rapidinhas Políticas

DE VOLTA
Jornalista Gessi Taborda, que assina a coluna “EM LINHAS GERAIS”, neste espaço, estará de volta a partir da próxima terça-feira depois de uma “reaquecida na musculatura profissional”, prometendo novidades especialmente a partir de agora quando realmente o clima eleitoral, rumo a 2018, começa a ficar mais quente no Estado. Bom retorno!

LEI SECA
Eleitores amazonenses elegem neste domingo o governador tampão, com mandato até dia 31 de dezembro do ano que vem, e já estão avisados: nada de bebida entre as duas às 18 deste domingo. A BR-319 vai ser passarela para muitos humaitaenses residentes em Porto velho e que mantém ali seu domicílio eleitoral.

VOTANTES
Estão aptos a votar mais de 2 milhões de eleitores no Amazonas, e as Forças Armadas estão disponibilizando contingente de quase 5 mil soldados, da Aeronáutica, Marina e Exército.

PREVIDÊNCIA
A 20ª Vara Federal de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, determinou que o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) restabeleça todos os benefícios por incapacidade cancelados nos casos em que o segurado ainda não passou pela perícia, mas já realizou o agendamento. A liminar, do juiz Carlos Felipe Komorowsi, foi concedida sexta-feira e tem abrangência nacional. Cabe recurso ao Tribunal Regional Federal da 4ª Região.

TUCANATO
A direção nacional do PSDB delegou ao presidente Michel Temer o destino de seus ministros tucanos. A legenda saiu rachada do processo de votação na Câmara dos Deputados sobre o prosseguimento da denúncia por corrupção passiva contra o peemedebista. Será que nossa deputada Mariana Carvalho gostou?

PROCESSOS
Em Brasília o ministro do STF Alexandre Moraes falou sobre o processo de Temer:
"Eu não analiso a decisão da Câmara do ponto de vista político, eu analiso do ponto de vista jurídico", declarou o ministro na saída do 21º Congresso Brasileiro de Reprodução Assistida, em São Paulo, quando questionado se a decisão dos deputados traria estabilidade política ao País. "A Câmara politicamente entendeu que não é o momento de permitir o andamento do processo, cabe ao Supremo esperar o fim do mandato. Não tenho uma avaliação política sobre isso."

DESMEMBRAMENTO
Sobre a possibilidade de o processo contra Temer ser desmembrado para permitir que o ex-deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) seja julgado em primeira instância, Moraes considerou que ainda é cedo para saber, uma vez que a decisão da Câmara foi comunicada ao Supremo apenas na tarde de sexta-feira, 4. "Agora, deve abrir vistas à Procuradoria-Geral da República PGR, precisa verificar se ela vai solicitar o desmembramento. E aí o ministro Edson Fachin vai encaminhar essa decisão."

PORTO VELHO

Banner 468 x 60 px