Papagaio: Brincadeira que pode até matar

Brincar de papagaio ou soltar pipa, uma brincadeira que atravessa gerações Brincar de papagaio ou soltar pipa, uma brincadeira que atravessa gerações

“Soltar papagaio”, ou como querem alguns “empinar a pipa” é uma brincadeira para a qual pode se usar o velho dístico porque pode ser praticada “dos oito aos 80 anos”, independente de sexo, cor da pele, religião ou diferença social.

Para entrar na brincadeira não é preciso muito investimento, porque os “papagaios”, feitos de papel, linha, cola e talas, além de um apetrecho chamado “rabiola” e que funciona como uma guia quando ele está no espaço, não custa caro, e pode ter o valor muito reduzido se o praticamente mesmo produzir o seu.

A brincadeira é muito praticada especialmente nos períodos de férias escolares – até porque município e Estado pouco oferecem como opções de lazer para a garrotada, e principalmente em pleno verão.

É o que se vê muito agora, quando especialmente nos finais de semana, grupos de crianças, adolescentes, e até adultos, alguns segurando varas e outros atirando os “boles” na disputa de um dos brinquedos que tenha sido “cortado” no ar.

Uma brincadeira que pode custar muito caro, em prejuízos, para os que tenham os fios de luz de suas casas cortados pela linha usada para empinar o brinquedo, podendo causar até um curto-circuito e queimar equipamentos eletrônicos.

Ou, mais ainda, provocar um acidente, como já aconteceu alguns em Porto Velho, especialmente atingindo e ferindo gravemente motoqueiros.

Todos os anos, especialmente neste período de verão forte, quando a brincadeira do “papagaio” está mais presente, é comum observar que condutores de motos mandam colocar um ferro flexível no guidon, para evitar serem atingidos pela linha de empinar o brinquedo, normalmente carregada de cerol – uma mistura de cola, vidro e, muitas vezes, aço.

Um brinquedo que coloca em risco quando correm pelo meio de avenidas, como acontece muito na Jorge Teixeira, sem qualquer preocupação com a possibilidade de causar um acidente grave, prejudicando quem esteja “brincando” e, mais, quem esteja dirigindo seu veículo.

Brincar de “papagaio” pode trazer problemas devido à longas exposições ao sol sobre a cabeça e os olhos

PORTO VELHO

Banner 468 x 60 px