Encontro debate dragagem do Madeira, 364 e pirataria

Potencialidade da hidrovia do Madeira em debate ontem no auditório da OAB Potencialidade da hidrovia do Madeira em debate ontem no auditório da OAB

Pela hidrovia do Rio Madeira são transportadas 13 milhões de toneladas de cargas por ano

“Nosso objetivo aqui é lutar pela construção do acesso ao Porto Chuelo e duplicação do BR-364”. A afirmação é do presidente da Federação Nacional das Empresas de Navegação Aquaviária (Fenavega), Raimundo Holanda Filho, ao abrir ontem (18), em Porto Velho, o debate sobre a Importância do Transporte Sustentável em Rondônia, Amazônia e Impactos pós-UHE.

Aos representantes de entidades de classe, autoridades federais, estaduais, municipais, da Marinha do Brasil e da sociedade de Porto Velho reunidos no auditório da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), ele demonstrou a potencialidade da hidrovia do Madeira, pedindo a união de esforços para alavancar o seu desenvolvimento (sustentável), destacando que não existe navegação forte sem rodovias boas e estruturadas.

Holanda citou investimentos de R$ 1,4 bilhão na melhoria e modernização dos Portos de Rondônia realizados pela iniciativa privada, que reclama dos desperdícios e prejuízos por falta de infraestrutura.

Segundo ele, em que pese tudo isso, a sociedade precisa saber que pela hidrovia do Rio Madeira são transportadas 13 milhões de toneladas de cargas por ano, com o maior comboio de balsas já visto, que transportam de uma só vez 40 mil toneladas, carga semelhante a de 1.300 carretas, que é toda conduzida por apenas 12 tripulantes.

O presidente da Fenavega disse que as autoridades conhecem essa realidade que precisa ser levada ao conhecimento também da sociedade para que ela se envolva neste processo do desenvolvimento sustentável.
“As pessoas precisam saber da importância da navegação do Madeira”, disse destacando que por ela é que são transportados gêneros e produtos de primeira necessidade, como alimentos, gás de cozinha, combustível e todos os produtos de exportação.

Assim como ele, o presidente da Sociedade de Porto e Hidrovias de Rondônia (Soph), Leudo Buriti, defendeu os mesmos pontos de vistas, mas destacou uma série de medidas que precisam ser implementadas no sistema de portos e hidrovias do Estado para modernizar seus procedimentos em direção ao desenvolvimento sustentável e promover a segurança da navegação.

Segundo Buriti, é preciso avançar na discussão temas concretos sobre dragagem, sinalização e sobre combate a pirataria ao longo do Rio Madeira, medidas que tornam a utilização da hidrovia e o transporte de cargas mais seguros na região, que devem ser acompanhadas de outras obras não menos importantes como a ampliação da malha rodoviária que serve aos portos.

PORTO VELHO

Banner 468 x 60 px