Projeto Rondon comemora com megaoperação em 15 município

A operação cinquentenário do Projeto Rondon começa amanhã, 6, em dois eventos, o primeiro às 11 horas no Memorial Rondon, na velha cidade de Santo Antonio, com a inauguração da placa de 50 Anos do Projeto e a partir das 12 no Palácio das Artes a inauguração oficial da Operação.

A “Rondon” deste ano tem para Rondônia um fator importante, porque foi em Porto Velho, em julho de 1967 que se realizou a “Operação Zero”, e por isso toda a atividade deste mês será realizada no Estado.

A “Operação Cinquentenário” será realizada por 310 rondonistas, oriundos de 30 instituições de ensino, que vão atuar, até dia 23 próximo em 15 municípios, em atividades as mais diversas das áreas de formação do grupo.

Atualmente o Projeto Rondon está sob a coordenação do Ministério da Defesa, em parceria com os ministérios da Educação, Desenvolvimento Social e Agrário, Saúde, Meio Ambiente, Integração Nacional, Esporte e a Secretaria de Governo da Presidência da República, uma ação interministerial do Governo Federal realizada em coordenação com os Governos Estadual e Municipal.

A proposta é somar esforços com as lideranças comunitárias e com a população, a fim de contribuir com o desenvolvimento local sustentável e na construção e promoção da cidadania. O projeto, assim, prioriza desenvolver ações que tragam benefícios permanentes para as comunidades, principalmente as relacionadas com a melhoria do bem estar social e a capacitação da gestão pública.
Além disso, busca consolidar no universitário brasileiro o sentido de responsabilidade social, coletiva, em prol da cidadania, do desenvolvimento e da defesa dos interesses nacionais.


Muitos dos participantes do Rondon que atuaram em diversas cidades do Brasil moram e trabalham em Rondônia


Do trabalho de Sociologia ao “Projeto”
O projeto de levar a juventude universitária a conhecer a realidade deste país continental, e proporcionar aos estudantes universitários a oportunidade de contribuir para o desenvolvimento social e econômico do País foi idealizado pelo professor Wilson Choeri, da Universidade do Estado da Guanabara, atual UERJ, em1966, em trabalho de sociologia intitulado “O Militar e a Sociedade Brasileira”.

O sonho se transformou em realidade no ano seguinte, no dia 11 de julho de 1967, quando 30 estudantes e dois professores partiram do Rio de Janeiro para Rondônia, a bordo de uma aeronave C-47.
Era a Operação Zero, a primeira operação do Projeto Rondon, que tinha por objetivo levar os estudantes a tomar contato com o interior da Amazônia, sentir o Brasil e trabalhar em benefício das comunidades carentes daquela região.

A equipe permaneceu na área por 28 dias, realizando trabalhos de levantamento, pesquisa e assistência médica. No retorno, manchetes nos jornais e entrevistas com os participantes demonstravam todo o sucesso da operação, que passaram a utilizar o slogan “Integrar para não Entregar”.

Os universitários sugeriram, também, um nome para a iniciativa, inspirados no trabalho do grande militar e humanista, o Marechal Cândido Mariano da Silva Rondon. Assim nasceu o “Projeto Rondon”.

Durante as décadas de 1970 e 1980, o projeto permaneceu em franca atividade, tornando-se conhecido em todo Brasil. No fim dos anos oitenta, o projeto deixou de receber prioridade no Governo Federal, sendo extinto em 1989, mas mantido vivo, após essa data, pelo idealismo de seus pioneiros, por intermédio da Associação Nacional dos Rondonistas.

PORTO VELHO

Banner 468 x 60 px