ÁRBITRO DE VÍDEO: Sem outras explicações, CBF cancela o uso

Como sempre o futebol demora muito para implantar o que outras modalidades já utilizam Como sempre o futebol demora muito para implantar o que outras modalidades já utilizam

O uso do “árbitro de vídeo” pela CBF na próxima rodada do Brasileirão acabou sendo transformado em mais uma espécie de “promessa de político em campanha”: depois de anunciar a medida, o presidente da Confederação, Marco Polo del Nero voltou atrás e a coisa não andou.

O árbitro de vídeo já vem sendo utilizado há muito tempo por outros esportes, inclusive por aqueles muito mais velozes que o futebol, casos do Atletismo, Natação e Voleibol, mas essa modernidade vem encontrando fortes barreiras quando o assunto é futebol, com todas as desculpas possíveis e iomagináveis.

TREINAMENTO
De qualquer forma a Comissão de Arbitragem da CBF anunciou que vem dando prosseguimento às normas para a implantação do Árbitro Assistente de Vídeo (VAR) na arbitragem nacional, a Comissão de Arbitragem da Confederação Brasileira de Futebol reuniu grupo de 16 supervisores de AV para atualização de protocolo e revisão de instruções antes da preparação intensiva de árbitros e árbitros assistentes.

Presente em uma série de treinamentos realizados pela Conmebol nas últimas semanas, o instrutor técnico de VAR, Manoel Serapião Filho, comandou o trabalho teórico que consistiu em atualizar os supervisores sobre o conteúdo, alcance e limites do protocolo elaborado pela IFAB (International Football Association Board).

O trabalho foi acompanhado pelo presidente da Comissão de Arbitragem da CBF, Marcos Marinho. “Desde março do ano passado, todos os cursos e treinamentos promovidos pela Comissão de Arbitragem da CBF têm o tema “Árbitro de Vídeo” como parte das atividades. Além disso, nós participamos de todos os workshops realizados pela FIFA sobre o AV em Londres, Amsterdã, New Jersey e Zurique. Agora, vamos dar mais um passo para a implantação do AV” explicou o dirigente

PORTO VELHO

Banner 468 x 60 px