Poeira e fumaça aumentam problemas respiratórios

Entre os cuidados que os pais devem ter em suas casas, segundo a médica, é hidratar bem a criança com água ou sucos Entre os cuidados que os pais devem ter em suas casas, segundo a médica, é hidratar bem a criança com água ou sucos

Quanto aos chamados “remédios caseiros”, ela disse que também devem ser evitados, e recomendou um xarope apenas para os casos de resfriado, que consta no Black Book de Pediatria (livro que se tornou referência em pediatria).

REDAÇÃO
Apesar das campanhas veiculadas nos meios de comunicação e alertas de especialistas contra as queimadas, os problemas respiratórios em decorrência dessa prática ilegal e da poeira, comuns nesta época do ano em Porto Velho, continuam fazendo como principais vítimas as crianças e idosos.

De acordo com a gerente médica do Hospital Infantil Cosme e Damião, Maira Tolentino, entre 100 a 200 atendimentos diários, cerca de 60%, ou seja, 120, são crianças com alguma reação, como tosse, cansaço, pneumonia, bronquite, laringite, infecções das vias respiratórias, entre outras.

Como forma de prevenção à saúde das crianças e também dos idosos, a gerente médica Maira orientou os pais a denunciarem as queimadas, pois a fumaça é um agente tóxico, que pode levar a óbito pessoas com doença pulmonar obstrutiva crônica.
Entre os cuidados que os pais devem ter em suas casas, segundo a médica, é hidratar bem a criança com água ou sucos, de preferência natural; manter o ambiente umidificado, seja com o aparelho específico ou utilizando uma bacia com água ou toalha molhada nos cômodos.

Caso a criança tenha tosse persistente, cansaço, febre, redução do apetite ou sinais de alergia na pele, a orientação é que seja procurada uma unidade de saúde, inicialmente os postos, e nos casos mais graves as Unidades de Pronto-Atendimento (UPAs), que poderão encaminhar para o hospital, se o quadro for de broncoespasmo (fechamento e edemas nas pequenas vias aéreas, os brônquios e os bronquíolos, canais por onde o ar é transportado até chegar aos pulmões), entre outros emergenciais.

RISCOS DA AUTOMEDICAÇÃO
Quanto aos chamados “remédios caseiros”, ela disse que também devem ser evitados, e recomendou um xarope apenas para os casos de resfriado, que consta no Black Book de Pediatria (livro que se tornou referência em pediatria). Para fazê-lo, os pais devem utilizar meia xícara de mel, suco de um limão, um dente de alho cortado em quatro fatias, uma colher de sobremesa de vodka ou conhaque e meia xícara de água filtrada. Mistura-se em um pote de vidro e dá-se à criança ou adulto de 4 a 5 vezes ao dia.

Com relação à automedicação, Maira Tolentino ressaltou que é um comportamento grave, que pode atrasar o diagnóstico e o tratamento adequado, causar intoxicação, reações alérgicas e agressões a alguns sistemas do corpo humano, podendo também resultar em morte. Ao invés de seguir a receita do vizinho, o ideal é procurar um médico nos hospitais ou um farmacêutico nas farmácias, jamais um balconista.

PORTO VELHO

Banner 468 x 60 px