Juiz condena Lula a 9 anos mas não decreta prisão

Condenado a 9 anos e 6 meses de prisão, Lula poderá recorrer em liberdade Condenado a 9 anos e 6 meses de prisão, Lula poderá recorrer em liberdade

TENTATIVA
O juiz afirmou em sua sentença que a “aparente tentativa” do petista de “transferir a responsailidade” sobre o negócio do triplex 164-A do Guarujá (SP) à ex-primeira-dama Marisa Letícia, morta em janeiro de 2017, “não é convincente”.

REDAÇÃO
O ex-presidente foi condenado ontem (12) a 9 anos e 6 meses de prisão pelo juiz responsável pelos processos da Lava Jato, Sérgio Moro, no caso do triplex. Ele poderá recorrer em liberdade.

Sérgio Moro afirmou na sentença que foi intimidado e que não decretou a prisão neste momento do processo por "prudência".
O triplex foi resultado de propina acertada entre o PT e a OAS, segundo Moro, relativa a obras na Petrobras. A construtora pagou cerca de 3% do valor dos contratos e aditivos firmados. O preço do triplex e as reformas nele realizadas foram abatidas desse montante, afirmou o juiz na sentença.

"A única explicação disponível para as inconsistências e a ausência de esclarecimentos concretos é que, infelizmente, o ex-presidente faltou com a verdade dos fatos em seus depoimentos acerca do apartamento 164-A, triplex, no Guarujá", segundo a sentença de Moro.

De acordo com a nota, a sentença de Sérgio Moro é "arbitrária", "absolutamente ilegal" e um "ataque à democracia" de um juiz "parcial". Para o PT, a verdade "virá à tona" depois que o caso chegar a outras instâncias da Justiça.

Segundo o partido, Lula é alvo de um "processo de perseguição". "Se utilizam recursos jurídicos indevidos como fim de perseguição política. Em seu caso, busca-se imputar-lhe crimes com base em teorias respaldadas apenas pela palavra de condenados, incapazes de comprovar suas afirmações por meio de documentos ou de transferências bancárias", afirma a nota.

PORTO VELHO

Banner 468 x 60 px