Brasil e Bolívia debatem relações ao desenvolvimento

Semana de Integração Brasil-Bolívia, no Auditório do Tribunal de Contas do Estado de Rondônia Semana de Integração Brasil-Bolívia, no Auditório do Tribunal de Contas do Estado de Rondônia

A localização de Rondônia é um diferencial em relação aos demais estados brasileiros nesta relação bilateral com a Bolívia e o Peru. O debate propõe conhecer e refletir sobre os modos de integrar as regiões e as pessoas.

Com o intuito é intercambiar experiências, estimular o debate sobre o desenvolvimento e a integração nas fronteiras do Brasil, em especial com a Bolívia, assim como promover e fortalecer as relações bilaterais entre os dois países, acontece de 3 a 5 de julho, Semana de Integração Brasil-Bolívia, no Auditório do Tribunal de Contas do Estado de Rondônia (TCE-RO), em Porto Velho.

O evento é uma iniciativa do Departamento de Ciências Sociais (DCS) da Fundação Universidade Federal de Rondônia (Unir) em parceria com Laboratório Amazônico de Estudos em América Latina (LabLat), Governo do Estado de Rondônia, Centro Cultural Boliviano, Federação das Indústrias do Estado de Rondônia (Fiero) e a Embaixada Boliviana no Brasil e outros parceiros. Dentre os participantes convidados, estão confirmados representantes do governo, da academia, da diplomacia, do comércio e do terceiro setor.

O presidente da Fiero, Marcelo Thomé, que participará presidindo uma das mesas de debates, ressalta que o Brasil é, historicamente, o principal parceiro comercial da Bolívia. É o primeiro destino das exportações bolivianas, devido à venda do gás natural, e segunda origem das importações do país. “As relações econômicas com o Brasil têm impulsionado o desenvolvimento boliviano, em função da presença econômica brasileira no país, em termos de superávit comercial, investimentos e remessas de imigrantes”, disse.

Thomé elogia a iniciativa e ressalta a importância do encontro e convida a classe empresarial e a sociedade rondoniense para conhecer e refletir sobre a realidade e as relações sociopolíticas entre Rondônia e seu país vizinho.

O presidente do Conselho de Representantes da Fiero, Chagas Neto, que também participará como presidente de mesa, destaca a Bolívia como o único país da América do Sul que apresenta, de forma consistente (desde 2003), superávits comerciais com o Brasil, em função das volumosas exportações de gás (98% do total exportado).

Para Chagas, a escolha de Porto Velho para sediar este encontro, é significativa, pois comprova o prestígio do estado nos países vizinhos. Para ele, é perceptível que há todo o interesse da Bolívia em superar obstáculos de ordem logística e comercial para explorar de forma mais intensa negócios com o Brasil. “Estou seguro de que precisamos fortalecer nosso intercâmbio, há potencial para isso e é importante este debate sobre as relações comerciais e de logísticas em prol das duas regiões”, disse.

Em pauta, o estímulo ao comércio, os projetos de interligação de infraestrutura e, sobretudo, as dinâmicas sociais e políticas entre Brasil e Bolívia.

PORTO VELHO

Banner 468 x 60 px